História

O início de Caculé

A terra ainda era desconhecida em 1854, quando encantou os olhos do negro e escravo Manoel Caculé, que fugindo da escravidão na comunidade de Jacaré, pertencente ao município de Ibiassucê, encantou com a beleza das águas, da terra e do verde às margens da lagoa.
Em nome da liberdade, plantou, colheu e comercializou, e isso lhe permitiu a compra do direito de ser livre, junto a sua proprietária e fazendeira, Dona Rosa Prates.
Ainda conta a história que, assim como o negro fugitivo, a sua antiga proprietária Rosa Prates também não resistiu à beleza das terras e, deslumbrada com a região, resolveu fixar sua residência em Caculé, construindo uma casa e uma capela. Após alguns anos, Dona Rosa Prates doou parte das suas terras ao Sagrado Coração de Jesus, que se tornou o padroeiro do lugar.
Por conta do escravo Manoel Caculé, surgiu a origem do nome da cidade e também à lagoa: Lagoa Manoel Caculé.
O município foi emancipado em 14 de agosto de 1919, durante o mandato do então governador Antônio Ferraz Muniz de Aragão.